My sister is dating a loser

O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) já afirmou que pretende colocar o projeto em pauta no plenário até o fim de março.“O que o cidadão vai pensar quando souber que a relatora do projeto é a deputada Cristiane Brasil?O curso proposto pelo colega da Un B, a partir da disciplina “Tópicos Especiais em Ciência Política 4”, com o tema “O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil” tem os seguintes objetivos: “(1) Entender os elementos de fragilidade do sistema político brasileiro que permitiram a ruptura democrática de maio e agosto de 2016, com a deposição da presidente Dilma Rousseff; (2) Analisar o governo presidido por Michel Temer e investigar o que sua agenda de retrocesso nos direitos e restrição às liberdades diz sobre a relação entre as desigualdades sociais e o sist ema político no Brasil; (3) Perscrutar os desdobramentos da crise em curso e as possibilidades de reforço da resistência popular e de restabelecimento do Estado de direito e da democracia política no Brasil.” O programa contempla bibliografia lúcida, de autores relevantes nas Ciências Humanas e Sociais do país.Além disso, conforme o próprio pesquisador afirma, em nota posterior à divulgação do caso, “Trata-se de uma disciplina corriqueira, de interpelação da realidade à luz do conhecimento produzido nas ciências sociais, que não merece o estardalhaço artificialmente criado sobre ela”, ao que emenda “A única coisa que não é corriqueira é a situação atual do Brasil, sobre a qual a disciplina se debruçará”.São todos regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e todos devem seguir a orientação da gestão da casa e cumprir as pautas jornalísticas determinadas pelas respectivas chefias, como acontece em toda e qualquer empresa de comunicação.O contrato firmado com a Agência Nacional de Águas (ANA) é público e se refere à contratação da EBC para executar serviços previstos na lei de criação da empresa.Não aceitamos que um gerente faça qualquer retaliação aos jornalistas e acuse o sindicato por defender a legalidade e legitimidade da EBC”atribuída aos repórteres por Coura.Nem citou a mensagem do gerente executivo da agência.

A causa disso é o ambiente cleptocrata que tem balizado as relações público-privadas brasileiras. Para mim, parece que a discussão sobre o projeto não conseguiu envolver suficientemente, por exemplo, outras áreas de relacionamento empresarial, como as áreas de comunicação, de relações com o mercado e de gestão de institutos e fundações.Assim qualquer projeto de regulamentação do lobby tem que estar alinhado a um outro paradigma em que os relacionamentos entre a sociedade e aqueles que fazem as leis e a gestão pública sejam balizados pela competência, pela legalidade e abençoados por uma legitimidade de grande abrangência social.Se não respeitar esse novo contexto, o projeto se transforma em mais um factoide, produtor de mais um cartório, apenas mais um protocolo de relacionamento, sem potência transformadora.Uma realidade desnudada no âmbito da academia por intelectuais como Raymundo Faoro e o genial Roberto Da Matta. E, extrapolando o âmbito empresarial, não mobilizou o terceiro setor neste projeto importante.É nesse contexto larápio, em que a gestão pública está nas mãos de piratas que coloca-se em pauta a questão deste tipo de regulamentação. Esse tipo de envolvimento que vai além das salas do Congresso é que confere legitimidade a uma aprovação feita por um parlamento que tem uma imagem péssima e quase nenhuma confiança no âmbito da sociedade brasileira.

Leave a Reply